quarta-feira, 25 de julho de 2012

Ensaio do Ser

Fadiga do raso, a superficialidade me cansa. 
Procuro a essência na sua mais pura profundidade do ser.
Sou sim uma porção rara em busca do ideal de ser feliz com o conteúdo que enxergo no próximo e que seja o espelho do meu inverso. 
Na busca da felicidade sem precisar usar lupa, enxergando claramente que amar não é um conjunto de fatores, mas sim uma identidade de valores e ideais, com alguém que te admira, te protege e quer o teu bem, por ser simplesmente recíproco e não uma fugaz ilusão.
O amar na sua mais profunda e densa expressão é intangível para os que não mergulham nas profundezas do real sentimento do destino. 

E que seja desatinado antes que passivo, acompanhando a sintonia e a intuição dos labirintos que a vida te prepara e te traz subitamente. Resta apenas descobri-la, sem espera, vai e descortina de vez a vida...respira a profundeza do ser que em ti habita...vive...ama!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário