segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Soneto da Inspiração Maior (11/01/08)

Pensei um dia em te amar,
Quem sabe talvéz eternamente,
O olhar vago na estrada com neblina,
Sigo meus parcos passos,
Nessa tragetória que é a vida,
Oh... existência divina... 
Presentêa-nos com o mais sublime dos encantamentos:
Amor...
Palavra tão curta, porém de tamanha profundidade,
ou seria melhor: expressividade...
De que vale esse doce sentimento,
senão a delícia de transmiti-lo e compartilhá-lo com quem se ama,
Mas te digo que jamais antes pronunciei,
Senão que apenas te amo e sempre,
Unicamente... te amarei...

Nenhum comentário:

Postar um comentário